Força empreendedora

No Paraná, 11% dos MEI são arrimo dos núcleos familiares

Pesquisa realizada pelo Sebrae mostra as principais características dos microempreendedores individuais, que já somam mais de 530 mil no Paraná

Com mais de 537 mil microempreendedores individuais ativos, o Paraná representa hoje quase 9% dos MEI no Brasil, que já contabiliza mais de 6 milhões de trabalhadores em atividade na modalidade. A pesquisa “Perfil MEI”, realizada pelo Sebrae/PR, em todos os estados brasileiros, mostra as principais características desses empreendedores.

Conforme a pesquisa, a atividade é a única fonte de renda dos 36% dos MEI no Brasil. Já no Paraná, 11% dos entrevistados responderam que a atividade é a única renda familiar. Quase 9% dos MEI se formalizaram atraídos pelas vantagens de ter uma empresa formal e outros 8%, pelos benefícios oferecidos pelo INSS, como aposentadoria por idade ou invalidez, auxílio doença, salário maternidade, entre outros.

Quanto à escolaridade, 11% dos MEI no Estado têm ensino médio completo, 6% têm formação superior e o mesmo percentual não concluiu o ensino fundamental. Esses dados confirmam a grande heterogeneidade desses profissionais. No Brasil, 48% dos MEI possuem ensino médio, 22% têm até o nível fundamental e 31% concluíram o nível médio e chegaram – pelo menos – a ingressar em uma universidade. “Após 10 anos da criação do MEI é zerado o índice de analfabetismo, o que demonstra que os profissionais estão se capacitando e se profissionalizando cada vez mais”, considera a consultora do Sebrae/PR, Carla Selva.

A pesquisa revela que a maioria dos entrevistados no Estado (14%) tem a própria casa como local de trabalho, enquanto 8% atuam em um estabelecimento comercial e quase 7% na casa ou empresa do cliente. Outros 4% comercializam seus produtos ou serviços na rua e os demais locais representam 1%. No Brasil, mais de dois em cada cinco entrevistados (40%) trabalham como MEI na própria residência.

Sobre os motivos que os levaram a empreender, 11% no Paraná responderam buscar a independência financeira, 10% necessitavam de uma fonte de renda e 3% apontam outros motivos. No âmbito nacional, o percentual de MEI que empreenderam por precisar de uma fonte de renda sobe para 33%, enquanto são 32% aqueles que buscam independência financeira.

O levantamento mostra que, antes de optar pelo registro como MEI, 19% dos entrevistados no Paraná tinham emprego com carteira assinada, 7% empreendiam sem CNPJ e 3% trabalhavam sem carteira assinada. Quase 24% disseram que a formalização contribuiu diretamente para o aumento das vendas dos negócios. Outros 25% indicaram melhoria nas condições de compra junto aos fornecedores.

A pesquisa ‘Perfil MEI’ aponta também que a renda familiar de todas as pessoas que moram na casa com um microempreendedor individual é de R$ 4.400,00, pouco mais de quatro salários mínimos. No Paraná, a renda média é de R$ 4.499,00, sendo que a maioria das famílias (9%) ganha de três a quatro salários mínimos.

“A pesquisa é fundamental para entendermos a evolução do MEI e quais as novas soluções podemos oferecer para acompanhar o crescimento e desenvolvimento dos empreendedores. Existem diversos cursos oferecidos gratuitamente nas Salas do Empreendedor e capacitações online, que permitem o acesso a qualquer hora do dia”, reforça a consultora.

 Licitações

Microempreendedores individuais também podem participar de licitações e realizar vendas para o maior comprador do País, que é o governo, seja na esfera municipal, estadual ou federal. A pesquisa realizada pelo Sebrae mostra que no Paraná apenas 5% dos entrevistados já venderam seus produtos ou serviços para prefeituras ou governo, enquanto no Brasil o percentual é de 12%. Dos MEI que nunca venderam para o governo, 51% disseram ter interesse nesse tipo de relação. Já no Paraná, o percentual é de 23%. 

 “Nas Salas do Empreendedor, o MEI tem acesso à capacitação sobre como se tornar um fornecedor, tudo de forma gratuita. Com isso, ele enxerga quais são as oportunidades para vender localmente”, orienta a consultora do Sebrae/PR. Quanto ao acesso ao crédito, as Salas também oferecem oficinas e orientações.

Portal do Empreendedor

O Portal do Empreendedor http://www.portaldoempreendedor.gov.br/ foi criado, em 2009, pelo governo federal, com o objetivo de simplificar a vida do empreendedor e impulsionar o empreendedorismo no Brasil. O site é um espaço onde é possível se formalizar como MEI, tirar dúvidas, cumprir as obrigações fiscais e procurar por capacitação para incrementar os negócios.

No Brasil, 34% dos entrevistados costumam acessar o Portal e 66% não acessam. No Paraná, 33% acessam e 67% não têm o hábito. “É um percentual expressivo de MEI que não acessa o site, onde é possível imprimir os boletos de contribuição mensal para pagamento. É um alerta, pois muitos ainda desconhecem suas obrigações”, diz. 

Quanto ao boleto mensal do MEI, 42% já deixaram de pagar algum deles no Estado, contra 49% no Brasil. Quase 60% dos entrevistados no Estado disseram não ter conhecimento com relação às consequências da inadimplência. “A falta do pagamento implica na proibição de utilizar os benefícios do INSS, inviabiliza o acesso ao crédito e financiamentos, entre outros. Enquanto o CNPJ estiver ativo, o empreendedor tem a obrigatoriedade de pagar o boleto”, cita a consultora do Sebrae/PR.

Pesquisa

A pesquisa ‘Perfil MEI’, entrevistou 10.399 microempreendedores individuais em todo o País, entre 1º de abril e 28 de maio deste ano. A sondagem alcança 95% de nível de confiança e 1% de margem de erro, delineando as principais características desses empreendedores.

  

 Contato para imprensa:
Patrícia Biazetto – (42) 9.8827-9194
Adriano Oltramari – (41) 3330-5895