Ecossistema

Experiência de Guarapuava disputa o Prêmio Nacional da Inovação

Iniciativa está entre as semifinalistas na categoria Ecossistema de Inovação em Desenvolvimento

O Ecossistema de Inovação de Guarapuava é um dos semifinalistas do Prêmio Nacional de Inovação (PNI), na categoria Ecossistema de Inovação em Desenvolvimento. O PNI tem o objetivo de incentivar e reconhecer os esforços de inovação bem-sucedidos de gestão da inovação nas empresas e ecossistemas de inovação que atuam no Brasil.

Nesta edição, a categoria Ecossistemas de Inovação é uma novidade lançada e está dividida em três subcategorias: Ecossistema de Inovação em Estágio Inicial, Ecossistema de Inovação em Desenvolvimento e Ecossistema de Inovação em Estágio Consolidado.

Em Guarapuava, o Ecossistema de Inovação é um ambiente composto por diferentes atores e promove articulação, interação e cooperação entre eles, estimulando iniciativas e redes de relacionamento de benefício mútuo e tem a inovação como foco principal.

“Para o ecossistema de Guarapuava, ser semifinalistas do PNI é um reconhecimento de todo o esforço do Ecossistema de Inovação, que de forma colaborativa, busca promover o desenvolvimento sustentável da cidade”, reforça o consultor do Sebrae Paraná, Agenor Felipe Krysa.

O movimento para o fortalecimento do Ecossistema de Inovação de Guarapuava teve início em 2017, e contou com o envolvimento do Sebrae Paraná, instituições de ensino superior, empresas, poder público, habitats de inovação, ICTI´s e entidades que visam o desenvolvimento local e regional.

“Em 2019 foi criado o Fórum de Ciência, Tecnologia e Inovação de Guarapuava, com o objetivo de unir instituições e a sociedade para pensarmos no desenvolvimento da cidade. Hoje, o Fórum tem 27 instituições representantes que participam ativamente na construção de projetos, metas e indicadores”, explica o consultor.

Para o presidente do Fórum de Ciência, Tecnologia e Inovação de Guarapuava, Sávio Denardi, o Município está se consolidando como importante polo de Inovação no Estado. “O ecossistema local tem se destacado como um ambiente de articulação e de integração, como resultados efetivos”, aponta.

Dentre os resultados da articulação estão a criação de habitats de inovação. O Município conta com quatro pré-incubadoras, parque tecnológico, quatro incubadoras e centros de inovação. Além disso, também foi criada a Conferência Guarapuava 2035, na qual são debatidas ações baseadas nos eixos ‘Política Pública para Inovação’, ‘Ecossistema de Inovação’, ‘Educação e Empreendedorismo Inovador’ e ‘Guarapuava, uma cidade da próxima geração’.

“Estarmos entre os semifinalistas, superando outros ecossistemas existentes no Brasil, demonstra o potencial que Guarapuava possui. São diversos atores pensando na mesma direção e fazendo um trabalho integrado”, analisa o CEO do Cilla Tech Park, Géri Natalino Dutra.

Paraná tem 8 ecossistemas semifinalistas

O PNI recebeu 63 inscrições na categoria Ecossistemas de Inovação, destas 58 atenderam os requisitos e 17 foram selecionadas para próxima fase, sendo 8 do Paraná. Além do SRI do Norte Pioneiro, também foram classificados na categoria Estágio Inicial o Habitat de Inovação Avança Araucária e o Ecossistema de Inovação do Médio Noroeste do Paraná; na categoria em Desenvolvimento estão os ecossistemas de inovação de Londrina e Guarapuava; e na categoria Consolidado, o Ecossistema de Inovação de Maringá, Vale do Pinhão – Ecossistema de Inovação de Curitiba, e SRI Iguassu Valley - Sistema Regional de Inovação do Oeste do Paraná.

O PNI é uma iniciativa da Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI), realizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). É a única premiação do país que entrega um relatório personalizado e gratuito a todas as instituições inscritas, com feedbacks, identificação de pontos fortes e oportunidades de melhorias, além do comparativo entre as candidatas da mesma modalidade.