Curitiba

Pesquisa do Sebrae/PR aponta crescimento no mercado de alimentos saudáveis

Levantamento feito com 200 empresas deve ser utilizado para a criação de um polo tecnológico e o desenvolvimento do setor

Você já teve a percepção de que o mercado de alimentos saudáveis apresentou grande crescimento nos últimos anos? O que era apenas uma percepção foi comprovado com uma pesquisa exclusiva realizada pelo Sebrae/PR com 200 empresários de Curitiba. Segundo os dados, 91% dos entrevistados identificaram um avanço nesse mercado em relação a atendimento, tecnologia e distribuição. Para 66%, houve aumento no número de consumidores, de estabelecimentos e novos produtos. 

Os entrevistados ainda apontaram que houve um aumento de 28% no número de colaboradores entre 2018 e 2019, em época de desemprego no cenário econômico. A maioria também realizará ou pretende fazer inovações em suas empresas para apresentar ao mercado, implementar novas formas de promoção e divulgação de produtos, designs, entre outras. 

A pesquisa, realizada em agosto e setembro deste ano, foi realizada com empresas que atuam, prestam serviços ou revendem para outras que atuam no segmento de alimentos funcionais, naturais, orgânicos ou para fins especiais. Elas atuam em 25 diferentes campos relacionados a esse mercado, que incluem desde a venda de matérias-primas até a prestação de serviços indiretos. 

Segundo a coordenadora do segmento de Alimentos e Bebidas do Sebrae/PR, Andreia Claudino, o levantamento foi elaborado a partir da tendência de crescimento no segmento observada no próprio Sebrae. Em torno de 30% das empresas participantes do programa Alimentos do Paraná atuam com produtos funcionais ou estão fazendo alguma conversão relacionada a esse segmento. 

“Nos últimos quatro anos esse aumento pode ser facilmente percebido. Todos lembramos de um novo comércio na área que foi aberto, recentemente. Isso sem falar no cenário de feiras orgânicas ou no próprio Mercado Municipal. A pesquisa confirmou essa tendência de crescimento e confirmou o potencial que Curitiba tem para ser referência também nesta área”, explica. 

Esse potencial, apontado como melhor em relação a outras cidades por 51% dos empresários, também inspirou a criação do projeto de um polo tecnológico, um ambiente que deve promover e apoiar empresários a obter maior acesso a tecnologias, inovações e ações de interação no segmento. Os dados indicaram que 94% dos empresários seriam favoráveis à implantação desse projeto. 

“A ideia é termos um ambiente físico com a presença de incubadoras, aceleradoras, laboratórios adaptados, espaço para ensaios e testes de novos produtos e equipamentos. Hoje temos muitas iniciativas individualizadas e a ideia é criar uma rede de conexões, troca de experiências, capacitações e de informações que colaborem para o desenvolvimento mais eficiente desse mercado”, afirma Andreia.  O projeto, que tem o apoio da FIEP e do Tecpar, deve ser lançado ainda nesse ano e a intenção é que as primeiras ações sejam colocadas em prática ao longo de 2020. As instituições também estudam outras parcerias e a viabilização de um local pra sediar o polo. 

Entre as empresas que aproveitaram o momento para expandir foi a LaCozí Alimentos, especializada em alimentos saudáveis sem a adição de corantes e conservantes, que nasceu em 2016 e teve um crescimento de 200% no primeiro ano e de 100% no segundo. “O movimento da saudabilidade tem crescido, especialmente, para alimentos com menos tendências de serem saudáveis como snacks. Só o fato de lançarmos uma lasanha de berinjela à bolonhesa, por exemplo, já traz um novo tipo de consumidor. Essa tendência impactou na nossa rotina e passamos a projetar mais lançamentos destinado a esse tipo de público”, afirma o sócio da empresa, Rodrigo Resnauer.

  

Contato para imprensa:
Renan Araújo - (41) 98814-0721 / (41) 3035-5669
Adriano Oltramari – (41) 3330-5895 / (41) 992320502