Mercado

Rodadas com empresas do Selo Alimentos do Paraná projetam R$ 2,3 milhões em negócios

Estimativa é quatro vezes maior em relação ao montante negociado no ano passado; evento contou com a presença de 25 varejistas e 22 vendedores

Empreendedores de 22 micro e pequenas empresas que participaram de rodadas de negócios realizadas pelo Sebrae/PR e a Fecomércio PR, durante a Mercosuper, ocorrida de 09 a 11 de março, projetam um volume de R$ 2,3 milhões em negociações a partir do contato com redes varejistas dos principais mercados do País. A estimativa das empresas que detêm o Selo Alimentos do Paraná, é quatro vezes maior em relação às rodadas realizadas durante a Mercosuper, em 2018. 

O consultor do Sebrae/PR, Lucas Hahn, afirmou que a metodologia e a preparação das empresas ajudaram no resultado.  “Temos um trabalho customizado para entender com quais lojas as empresas do Selo costumam fazer negócios ou mesmo quais seriam os potenciais compradores com foco nos grandes mercados nacionais. Assim, planejamos esse perfil de nicho e conseguimos, junto com os empreendedores, alcançar esse resultado. Para o ano que vem, pretendemos duplicar a área destinada às rodadas e ampliar a quantidade de negócios realizados”, comemorou. 

Nos três dias de Mercosuper, foram realizadas mais de 30 rodadas entre 25 varejistas e 22 vendedores. Estes últimos, pequenas empresas de várias regiões do Paraná, com a chancela do Selo Alimentos do Paraná, que garante a procedência e a qualidade dos alimentos produzidos. A Fecomércio PR, parceira do Sebrae na Mercosuper 2019, também avaliou positivamente o evento. 

“Os resultados deste ano foram além das expectativas e consolidaram o modelo das rodadas de negócios. O empresário que possui o Selo participa desse processo de gestão do Sebrae e pode expor seus produtos no mercado de maneira muito mais eficiente obtendo grandes resultados de vendas”, avaliou o assessor da presidência da Fecomércio PR, Paikan Salomon de Mello e Silva. 

A empresa Chá da Serra, de Guarapuava, especializada em chás encartelados, especiarias e compostos de chimarrão obteve um retorno positivo de 90% dos compradores, incluindo redes no Paraná, São Paulo, Santa Catarina e Rio de Janeiro, de acordo com o diretor executivo da empresa, André Rossetto.  “Durante as rodadas de negócios, os compradores estão com a mente mais aberta para te ouvir e conhecer os diferenciais do mercado, diferente do que acontece em outras situações. Esse contato é muito relevante para nós”, explicou ele.                                                                                  

A Tribal Pepper é outra empresa do Selo que fechou várias possibilidades de negócios com redes de dentro e fora do Estado. A empresa de Guarapuava buscou inspiração nas comidas de rua de Munique, na Alemanha, e há dois anos trouxe ao mercado pimentas de diferentes sabores e elaboradas com ingredientes naturais. A empresa já vende para outros estados, mas agora quer se consolidar e ampliar seu alcance. Segundo o administrador Elodir Jose Klein, além das vendas, as rodadas de negócios trazem benefícios que terão impactos positivos duradouros. 

“A troca de informações e o relacionamento é a experiência mais rica que podemos ter. A gente passa a entender melhor a realidade dos compradores e a ter mais empatia por eles. Assim, a gente consegue enxergar os desafios e se preparar melhor para negócios futuros”, exaltou. 

Entre os 25 compradores estavam redes varejistas de diferentes portes do Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Minas Gerais. Todos responderam que ficaram satisfeitos ou muito satisfeitos com as rodadas de negócios. Um deles é o Empório da Lê, que conta com quatro unidades em Joinville (SC). Segundo o proprietário da empresa, Oseas da Silva, deverão ser realizadas vendas com mais de 80% dos fornecedores oriundos da ação de mercado realizada na Mercosuper. Os grandes diferenciais, na sua opinião, são a qualidade e o preço. 

“Chamou a atenção o Selo que certifica a procedência das mercadorias. A gente conheceu uma boa variedade de produtos naturais, que não levam agrotóxicos e têm boa qualidade. Além disso, temos a possibilidade de negociar melhores preços”, explicou.  

Já a Mundo Verde Alimentos, maior rede de produtos naturais da América Latina, ressaltou que, além das potenciais vendas, o evento também pode ajudar a empresa conhecer melhor e ampliar a atuação da empresa no mercado paranaense. 

“Foi interessante para conhecer características de comportamento de fornecedores e ver que eles também podem variar suas produções para expandir o faturamento. Também identificamos que muitos não conhecem nossas lojas, então essa é uma oportunidade de nos aproximarmos desse público e de procurarmos expandir nossa atuação em novos mercados”, analisou Julio Cesar Rodrigues de Macedo, representante da marca. 

Selo Alimentos do Paraná

Realizado pelo Sebrae/PR, tendo no comitê gestor Fecomércio PR, Fiep, Associação Paranaense de Supermercados (Apras) e Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), o Programa Selo Alimentos do Paraná objetiva a melhoria de processos produtivos, aprimoramento da qualidade e boas práticas de gestão em empreendimentos de micro e pequeno porte do segmento de alimentos e bebidas. A metodologia segue as normas sanitárias vigentes e o MEG – Modelo de Excelência da Gestão, da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ). Todo o processo tem como avaliador o Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar).

 

 

 

Tags: Sebrae/PR, Selo Alimentos do Paraná