Evento

Fashion Branding abordou mudanças e inovação no mercado da moda

O evento foi realizado pelo Sebrae/PR e reuniu cerca de 500 empreendedores paranaenses

Marcas fortes sobrevivem mesmo diante de cenários desanimadores. A operação pode falir, mas uma marca – com suas experiências e com a simbologia que entrega para um consumidor fiel - se mantém. É por isso que em tempos de economia lenta, investir em construção de marca é um bom negócio. Principalmente no segmento da moda. Foi com essa mensagem que o consultor do mercado de luxo, Carlos Ferreirinha, abriu a tarde de palestras e painéis do Fashion Branding, evento realizado pelo Sebrae/PR para promover negócios e fomentar o setor têxtil e de vestuário autorais no Paraná. 

Ferreirinha também chamou a atenção para mudanças recentes no mercado da moda que devem estar no radar de quem trabalha com essa área. 

 “Somos seres vivos que nos conectamos com o que está ao nosso redor. É por isso que Rihanna e Anita são fenômenos. Não é só o talento. É ser do gueto e trazer isso em sua história”, disparou o especialista, provocando a plateia com um questionamento: “Como vamos ser relevantes para a nova geração, que é hiperconectada, que busca a experiência, que quer consumo consciente e sustentável?” 

Vender, vender, vender...

Mas, para chegar a isso, o pequeno empresário do setor da moda precisa aprender a conhecer seu público, seus concorrentes e o valor real de seus produtos. Para inspirar a tal alma do negócio, a tarde seguiu com um painel, com a especialista em negócios de moda Andressa Rando Favorito, com a consultora do Sebrae/PR, Adriana Kalinowski, e com o consultor Jorge Biff Netto. Andressa explorou os caminhos para triplicar resultados para marcas de moda, passeando por temas como pricing, sortimento e itens importantes para o mercado do varejo. 

Adriana Kalinowski apresentou uma pesquisa sobre tendências e desafios da pequena indústria de moda no Paraná, apontando números e soluções para o público. E José Biff Netto chamou a atenção dos empreendedores para as mudanças provocadas pela transformação digital no segmento da moda. 

 “Mesmo com a ideia de que você precisa experimentar uma peça para ver se caiu bem em você, é uma ingenuidade pensar que as pessoas não vão comprar cada vez mais no online. Há nesse segmento um modelo de negócio muito inovador e que vem dando muito certo, que é ter apoio recíproco entre o virtual e a loja física. Um pode levar para o outro e aumentar as vendas”, explicou o especialista. 

Quando o evento traz cases, fica mais fácil entender os conceitos e se inspirar. Uma das histórias enfatizou o conteúdo apresentado por Biff, sobre a necessidade de ter estratégias para o digital e o online. A marca de Maringá Perfect Way passou a ter 96% de sua operação concentrada no online, com ganhos significativos para o negócio. 

Chic

Quando ela conta que foi jornalista especialista em moda e dona da marca italiana Fiorucci no Brasil, a plateia mais jovem se surpreende. A marca mais indelével de Gloria Kalil é mesmo a sofisticação. 

Gloria Kalil falou sobre comportamento de consumo e a evolução das marcas de moda

 A autora de seis livros sobre moda e estilo, entre eles Chic, falou sobre comportamento de consumo e a evolução das marcas de moda. “Na década de 90, o jogo virou e o consumidor passou a dominar o processo. Dessa revolução, conhecemos um consumidor exigente, informatizado, volúvel e mimado”, brincou, bem humorada. Gloria Kalil deixou uma mensagem importante aos empreendedores interessados em prosperar nos próximos anos: “Não existe mais grande centro. Não existe mais essa conversa. A pirâmide da moda virou de cabeça pra baixo e a moda deixou de dominar. Quem domina é seu cliente, que busca na moda uma filosofia para o estilo dele, que combine com sua personalidade e que represente sua individualidade.” 

Moda e marca

O Fashion Branding, realizado nesta quinta-feira (7), reuniu cerca de 500 empresas ligadas ao setor da moda e foi realizado pela primeira vez pelo Sebrae/PR com o propósito de estimular o desenvolvimento das pequenas empresas dos segmentos da moda e do vestuário do Paraná. Além do seminário da tarde, com palestras e painéis, o evento teve rodada de negócios com 24 empresas âncoras e dez compradores.

“Essa primeira edição do evento Fashion Branding foi importante para geração de negócios na indústria da moda, e foi um encontro exclusivamente empresarial que gerou conexões, novas parcerias e conhecimento inovadores relacionados ao tema branding. Abordamos todo o processo de gestão e comunicação que uma marca precisa para se fortalecer”, avaliou o diretor de Administração e Finanças do Sebrae/PR, José Gava Neto.

Para a jornalista Dani Brito, o Fashion Branding foi uma oportunidade de ressignificar a atuação no mundo do trabalho. “Achei totalmente coerente e pertinente o evento promovido pelo Sebrae/PR porque confirmou algumas intuições minhas a respeito do caminho da moda daqui para frente. No que toca a moda, a tecnologia mudou a forma de consumo e numa economia capitalista isso muda tudo.Precisamos estar abertos às mudanças, arriscar e dar chance para aprender com o erro. Olhar para novas formas de criação, produção e comunicação da moda é imprescindível para sobreviver no mercado hoje”, avaliou a jornalista.

A programação foi encerrada com uma performance no palco, um desfile coletivo surpresa, com looks compostos pelas marcas paranaenses Cyntia Fontanella, Rocio Canvas, Felini, Isabela Pagnan, Dress For Freedom, Reptilia, Chaouiche, Elyane Fiuza, Rodrigo Alarcon e Amey.

 
Contato para imprensa:
Denise Morini - (41) 99910-2455
Adriano Oltramari – (41) 3330-5895 / (41) 99232-0502