Paraná

Pesquisa aponta principais desafios para os micro e pequenos negócios

É o que aponta levantamento do Sebrae Nacional, que ouviu mais de 10 mil empreendedores no País

Conquistar novos clientes, vender mais e a carga tributária estão entre os principais desafios apontados pelos donos de micro e pequenos negócios, no Paraná. Os dados são da pesquisa sobre o “Perfil da Microempresa (ME) e Empresa de Pequeno Porte (EPP)”, do Sebrae Nacional, envolvendo mais de 10 mil empreendedores de todo o País. No Paraná foram 408 entrevistas.

O trabalho identificou que, na opinião de 21% dos empreendedores do Estado, conquistar clientes e vender mais é a maior dificuldade para quem decide abrir o próprio negócio. Outros 19% apontaram a carga tributária como obstáculo, enquanto 10% dos paranaenses afirmaram não enfrentar adversidades. As dificuldades com a carga tributária se refletem no número de 70% dos empreendedores que afirmaram já ter atrasado os pagamentos de impostos, mas hoje estão em dia. Em nível nacional a porcentagem é de 55%. Entre outras dificuldades identificadas pela pesquisa, apareceram a mão de obra, inadimplência e a competição com concorrentes. 

Segundo a gerente da Unidade de Atendimento e Relacionamento do Sebrae/PR, Vania Paula Cruz, uma das dicas para superar as principais dificuldades está em oferecer um produto ou serviço mais especializado e com maior valor agregado. “O Sebrae indica que o empreendedor conheça o seu cliente, segmente sua solução e divulgue nos canis que o cliente mais utiliza. Quando conheço o cliente, posso ser mais assertivo na entrega e ele aceitará pagar um valor maior pelo produto, permitindo a inclusão dos impostos na formação do preço de vendas. Dessa forma, é possível absorver a carga tributária sem que isso afete o fluxo de caixa”, afirma.  

A pesquisa do Sebrae também confirmou a importância da formalização para os donos de micro e pequenas empresas. Para 76% deles, ter um CNPJ melhorou as condições de compra da empresa e, para 74%, a formalização permitiu à empresa obter ganhos maiores, índice acima do nível nacional, de 70%. Além disso, o próprio negócio representa, para 68% dos entrevistados, a única fonte de renda.

 

Vania indica que a formalização pode ser importante para os empresários em relação à compra de produtos por parte de fornecedores que realizam vendas apenas para pessoas jurídicas, oferecendo mais opções ao empreendedor. Ela também aponta os benefícios em relação às linhas de financiamento. “Quando o empresário é formalizado, consegue financiamentos a taxas mais atraentes, porque isso oferece menos riscos para quem empresta o dinheiro. O CNPJ traz credibilidade e também oportuniza mais vendas para os empresários, inclusive para o setor público”, ressalta. 

O levantamento indicou que 71% das empresas entrevistadas está em atividade e apontou ainda uma média de nove anos de existência para as empresas. A formalização aconteceu, em média, após 15,7 anos de trabalho informal. Além disso, 81% delas acreditam que devem crescer e mudar de porte nos próximos anos. 

Para continuar aperfeiçoando a atuação da empresa, a maioria dos empreendedores do Paraná apontou que sente a necessidade de mais capacitação. Metade dos empreendedores paranaenses deseja se capacitar na área de controles financeiros, 42% em propaganda e marketing, 41% em atendimento ao cliente e 40% em melhoria de qualidade do produto ou serviço. Ao todo, 37% deles realizaria cursos presenciais e 32% online.

 

Números da pesquisa no Paraná:

21% avaliam a dificuldade de conquistar a clientela como maior desafio

19% reclamam da carga tributária

50% desejam maior qualificação nas áreas de controle e gestão financeira

70% já atrasaram o pagamento de impostos, mas hoje estão em dia

81% acreditam que vão mudar de porte nos próximos anos

68% têm a atividade de empresário é a única fonte de renda

58% estão no negócio por ter tido conhecimento ou experiência

74% afirmam que a formalização os ajudou a ganhar mais

64% vendem produtos e serviços para outras empresas

 

 

Contato para imprensa:
Renan Araújo - (41) 98814-0721 / (41) 3035-5669
Adriano Oltramari – (41) 33305895 / (41) 992320502